segunda-feira, 2 de março de 2015

Chico Lessa, sempre presente!

Sinte Joinville vem manifestar com profundo pesar a morte de nosso companheiro de luta Francisco João Lessa. Chico como era conhecido era um dos maiores advogados trabalhistas de Santa Catarina e militante da Esquerda Marxista de Joinville, faleceu na manhã de sábado (28/02), em acidente ocorrido na cidade de São Paulo.

Sua história de vida foi formada na Luta de Classes, participando efetivamente de movimentos sociais, estudantis, no movimento das fábricas ocupadas e na defesa dos trabalhadores em educação. Depois que se tornou advogado, optou por atuar na defesa dos sindicatos de trabalhadores sendo conhecido como o “doutor dos trabalhadores”.

Organizou e dirigiu o MOTE (Movimento dos Trabalhadores em Educação), oposição ao Sindicato dos Professores do Estado em Joinville (Sinte Joinville) que em meados de 2009 encontrava-se parado e desestruturado. Organizou e orientou a militância que hoje faz parte da atual direção.

Fundador da CUT e do PT, Chico combateu a atual política de colaboração de classes defendendo de forma clara e objetiva os dispositivos reais de luta dessas duas entidades.  

Chico tornou-se comunista e militante operário desde a sua juventude. Muito carismático, simpático, e bem disposto para todos os combates, percorreu o Brasil passando suas experiências e ensinamentos, principalmente em relação às fábricas ocupadas como a Cipla, Interfibra e Flaskô , apoiando e dirigindo essas ocupações.

O corpo de Chico Lessa foi cremado na cidade de Guarulhos, São Paulo, na manhã do dia 02/03. O Sinte Joinville convida a todos para uma homenagem ao nosso grande camarada que ocorrerá na próxima quinta-feira (05/03), a partir das 19h30, na Câmara de Vereadores.

Ao companheiro Chico nossa eterna gratidão!

Chico sempre presente!




domingo, 1 de março de 2015

Assembleia Estadual. Organize sua escola.

Como já divulgado anteriormente aqui no blog, teremos dois horários de ônibus saindo de Joinville nesta terça feira: Às 6:00h e às 9:00h, para acompanhar o Ato na ALESC pela manhã e a Assembleia Estadual a tarde.

Organize sua escola e passe o nome e RG de todos interessados para sinte.joinville@yahoo.com.br ou pelo telefone 3026-6354 até às 13:30h desta segunda feira, para que possamos organizar as listagens.

VAMOS A LUTA, A HORA É ESSA!


quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

ATO E ASSEMBLEIA ESTADUAL

Nesta terça feira dia 03 vamos tod@s a Floripa. 
Confirme sua presença e de seus colegas de escola mandando e-mail com nome e RG para sinte.joinville@yahoo.com.br ou pelo telefone 3026-6354

TEREMOS DOIS HORÁRIOS DE SAÍDA.
6:00h e às 9:00h DO CENTREVENTOS



terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Ato adia leitura da MP e antecipa Assembleia Estadual.

Nesta terça feira o magistério catarinense mostrou mais uma vez sua força. Aproximadamente 500 pessoas estiveram na ALESC e conseguiram barrar a leitura da MP 198 que retira direitos dos professores ACTs e os transforma em horistas. É importante ressaltar que é uma importante vitória, mas parcial. A Comissão de Constituição e Justiça pode chamar uma sessão extraordinária e encaminhar o projeto as outras comissões e ao plenário. Por isso não depositamos nenhuma confiança nos deputados. 

O Ato também serviu para pressionarmos a direção majoritária do Sinte Estadual a antecipar a Assembleia Estadual. Política unitária de nossa direção regional com outras regionais do estado que surtiu efeito. Portanto não é verdade a expressão da nota da Executiva onde diz: "Em virtude do adiamento da leitura da MP 198/2015 pela Comissão de Constituição e Justiça e o seu encaminhamento para a leitura e admissibilidade no dia 03/03/2015 o SINTE/SC, vem através desta convocar o Magistério Público Catarinense para um ato às 9 horas na Assembléia Legislativa  e Assembléia Estadual a ser realizada nesta mesma data, as 14 horas em Florianópolis na Praça Tancredo Neves". 

A Maioria da direção estadual frente a grande pressão das regionais presentes se viu obrigada a recuar e adiantar a assembleia estadual para dia 03 de março, próxima terça feira. Uma vitória maiúscula dos lutadores do magistério que não aceitam a proposta salarial do governo, muito menos o ataque aos direitos dos professores ACTs.

Assim já convocamos tod@s a participar das atividades no dia 03-03. 

O SINTE disponibilizará quantos ônibus forem necessários. 

À LUTA COMPANHEIR@S!












segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

ATO EM FLORIPA

ATENÇÃO!

Os ônibus para o ato  em Florianópolis 
sairá do SINTE às 05:00h da manhã. 

domingo, 22 de fevereiro de 2015

ATO NA ALESC

Nesta terça feira dia 24 será realizado na ALESC manifestação pela não aprovação da MP 198 que retira direitos dos professores ACTs transformando-os em horistas. Também aproveitaremos a oportunidade para pressionar a direção estadual a realizar Assembleia Estadual o mais rápido possível.
É importante todos participarem. O Sinte regional está chamando paralisação para este dia e disponibilizando quantos ônibus forem necessários para a locomoção de todos. 
Nesta segunda ligue para o Sinte ou mande e-mail repassando nome e RG para garantir vaga nos ônibus. 

Reunião de Representantes. Encaminhamentos.

No Sábado dia 21, cerca de 50 trabalhadores em educação, participaram da reunião de representantes de escola para discutir sobre a proposta de plano de carreira do governo, a Medida Provisória que ataca os professores ACTs e as mobilizações para o próximo período.
Acompanhe os principais encaminhamentos. 

- Antecipação da assembleia estadual
- Ato da ALESC no dia 24 com paralisação
- Produção de materiais explicativos sobre a proposta do governo e MP
- Moção contra a repressão (afastamento Viviane)
- Solicitar análise jurídica da MP, se é possível um mandato de segurança
- Revogação da MP
- Rejeição da proposta do governo
- Unificar a categoria, não à divisão
- indicativo de estado de greve/ construção da greve
- Produzir adesivos contra a repressão (abaixo a repressão)
- Visitar os deputados da região
- Campanha de desmoralização do governo











sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Não nos calarão! Abaixo a repressão, Governador Raimundo Colombo

           Nas últimas semanas o Sinte - Regional Joinville tem recebido diversas denúncias de repressão em local de trabalho e ameaças aos dirigentes sindicais da entidade. O Secretário da Educação do estado, Eduardo Deschamps, tem reafirmado em reunião com diretores e assessores a intenção de punir com processos administrativos e exoneração os servidores que de alguma maneira organizarem a defesa da educação pública catarinense. Ou seja, as autoridades do estado estão aterrorizando nós servidores no intuito de nos calar. 

            O Sinte - Regional Joinville reitera nossa luta e se mantém firme na defesa incondicional dos nossos direitos. Não recuaremos um milímetro e organizaremos sim, professores, pais e estudantes na defesa de nosso maior patrimônio a educação, pública e gratuita catarinense. Exerceremos sem medo nosso direito de organização, expressão e manifestação.

            O Sinte relembra ao governador que nossa história foi forjada na luta contra a ditadura e não nos calaram, relembra que estamos entre as maiores categorias do país e que nunca estivemos tão fortes.

            Reafirmamos que a ameaça a um será vista como uma ameaça a todos e que estamos prontos para construir o maior movimento de nossa história em defesa dos nossos direitos e de nossos companheiros, pois como disse o companheiro Bertolt Brecht "... Depois de falarem os dominantes, falarão os dominados..."

Não nos calarão!!!


Clarice Erhardt
Coordenadora Regional

Elogio à Dialética
Bertolt Brecht

A injustiça avança hoje a passo firme.
Os tiranos fazem planos para dez mil anos.
O poder apregoa: as coisas
continuarão a ser como são.
Nenhuma voz além da dos que mandam.
E em todos os mercados proclama a exploração:
Isto é apenas o meu começo.
Mas entre os oprimidos muitos há que agora dizem:
Aquilo que nós queremos nunca mais o alcançaremos.
Quem ainda está vivo nunca diga: nunca.
O que é seguro não é seguro.
As coisas não continuarão a ser como são.
Depois de falarem os dominantes, falarão os dominados.
Quem pois ousa dizer: nunca?
De quem depende que a opressão prossiga? De nós.
De quem depende que ela acabe? De nós.
O que é esmagado, que se levante!
O que está perdido, lute!
O que sabe e o que se chegou, que há aí que o retenha?
Porque os vencidos de hoje são os vencedores de amanhã.
E nunca será: ainda hoje.


Manifestação pela derrubada da MP 198 que retira direitos.

O Sinte Joinville convoca todos os trabalhadores em educação para exigir a rejeição da Medida Provisória 198/2015 na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (ALESC), no dia 24/02/2015, a partir das 9 horas. 

Iremos disponibilizar quantos ônibus forem necessários. Organizem-se na escola e enviem nome e número de identidade para o email: sinte.joinville@yahoo.com.br. A direção regional espera que a executiva estadual, até o final desta sexta-feira (20/02), transforme esse ato em um dia de paralisação e que na mesma ocasião comunique a antecipação da assembleia estadual. É hora de termos a máxima unidade e defender nossos direitos. Nossa categoria está preparada para romper as amarras e lutar por nossos direitos históricos.

Clarice Erhardt
Coordenadora Regional

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Reunião de Representantes

REUNIÃO DE REPRESENTANTES DE ESCOLA


QUANDO: SÁBADO DIA 21 ÀS 9:00h

ONDE: SINSEJ, RUA LAGES, 84, CENTRO

O QUÊ: - PROPOSTA SALARIAL DO GOVERNO
- MEDIDA PROVISÓRIA 198 (ACTs)
- MOBILIZAÇÃO E ASSEMBLEIAS

COMPAREÇAM!

Sinte Joinville exige o adiantamento da Assembleia Estadual

Nesta quarta feira, dia 18, o Sinte Joinville reuniu sua diretoria para discutir e construir ações para o ano de 2015. 
Na avaliação da direção o ano já começa com grandes ataques ao magistério catarinense. Nosso Estado não está descolado dos grandes acontecimentos do Brasil e do mundo, os planos de austeridade, tão propalados na Europa, se encaixam perfeitamente nos planos dos governos por aqui.
A Medida Provisória 198 (MP 198) retira os poucos direitos que os professores ACTs ainda tem, desta forma o Governo economiza, logo na área da educação, a qual deveríamos ter muito investimento. 
Assim, a direção do Sinte Regional vai exigir do Sinte Estadual que cumpra a decisão do Conselho Deliberativo, de antecipar a assembleia caso ocorresse alguma mudança da conjuntura. A MP 198 representa essa mudança e queremos, necessitamos organizar a categoria para lutar. 

Assembleia Estadual para a próxima semana é de extrema importância para organizar nossa luta.

Vamos a Luta! 

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

EEB João Martins Veras adia o reinício das aulas

Na tarde desta segunda feira os professores do Martins Veras, juntamente com a comunidade escolar definiram pelo não reinício do ano letivo.


A situação na escola não vem de hoje, há meses os professores reivindicam melhores condições de trabalho. A quadra de esportes está interditada desde o ano passado. A rede elétrica não suporta o uso de toda os aparelhos da escola. "As revindicações vão desde o canetão para o quadro branco até a reforma completa da quadra esportiva", afirma a Assistente de Educação da escola e Dirigente do Sinte Joinville Viviane de Souza Miranda. 

A assembleia foi marcada por presença de várias entidades: APP da escola, Gremio estudantil, SINTE, Centro de Direitos Humanos, Associação de moradores do Anita Garibaldi e MPL. Dezenas de pais e mães acompanharam seus filhos e muitos professores também marcaram presença debatendo o assunto num terrível calor. 

Ficou claro que não basta um prédio escolar e os alunos e professores se adaptarem as condições precárias, como indica a Gerente de Educação, a comunidade exige qualidade de ensino e qualidade de trabalho e não aceita mais a omissão dos Governos, que desatende a educação, negligencia a saúde dos alunos e profissionais da rede estadual, obrigando-os a lecionarem em uma sala de aula insalubre, sem ventilação, pisos descolados, sem energia elétrica e correndo o risco de um curto circuito.

Também serão encaminhados oficios e cartas aos orgãos responsáveis, denunciando a situação da escola, proposta destacada por um dos pais presente. 

Assim a comunidade definiu pelo adiamento do inicio das aulas até que as obras sejam iniciadas na unidade escolar.
















As escolas estão um caos, exagero ou precisamos nos adaptar?

Iniciamos o ano da forma como previmos aqui no blog. Ou melhor, talvez esteja sendo pior. Apesar disso, em reportagem desta segunda feira no Jornal do Almoço da RBS, a gerente de educação afirma que o saldo geral é positivo e todos precisam se adequar a nova situação. Pois bem, vejamos:

1 - O processo de reenturmação continua e por isso ainda não tivemos a segunda chamada de ACTs divulgada. É certo que quando acontecer a segunda chamada teremos pouquíssimas vagas para os professores que aguardam desde ano passado uma vaga para trabalhar. A reenturmação prejudica os estudantes que ficam abarrotados em salas de aulas pequenas e sem climatização. É ruim para os professores que precisam lidar com uma heterogeneidade imensa, com turmas chegam a mais de 37 alunos. É ruim para os professores ACTs que vêem suas vagas diminuídas. É o famoso corte de gastos em plena educação pública.

2 - As aula iniciaram e em muitas escolas a falta de estrutura é visível. A comunidade escolar do Placido Olimpio de Oliveira continua tendo que se deslocar até a faculdade anhanguera. O pessoal d EEB Martins Veras chega a escola e não tem energia elétrica. A EEB Higino Aguiar em Araquari sofre com o período intermediário (o que denota falta de escolas na região) e com a reforma ad eternum da escola.  Outras tantas continuam interditadas.

3 - A Secretaria de Educação anunciou no final do ano passado e no início deste ano, a implementação do diário de classe on line e professor on line. Somos totalmente favoráveis a implementação de sistema informatizado para melhorar nossa profissão, para os pais e estudantes terem acesso via internet, às suas notas, trabalhos e demais demandas cotidianas da vida escolar. Porém é inadmissível que isso se faça a toque de caixa, sem rede de internet adequada nas escolas, sem computadores para os professores e sem o devido treinamento dos profissionais.

4 - Governo anuncia o corte das licenças prêmios para todo o conjunto dos servidores estaduais. Algo que há pouco tempo imaginávamos ser impossível de acontecer, por conta de nossa estabilidade através de concurso público. Parece que os planos de austeridade que ouvimos nos noticiários internacionais têm chegado ao Brasil.

5 - O Governo Federal anunciou 2015 como o ano da Pátria Educadora, mas uma semana depois anunciou um corte no orçamento nas verbas de educação na ordem de 7 bilhões de Reais. Em algum lugar essa “bomba” tem que estourar, a escolas municipais e estaduais sofrerão as conseqüências.

6 - Os governos de diversos estados já enfrentam a organização dos trabalhadores em Educação. Os trabalhadores da educação da rede estadual de São Paulo têm assembleia marcada para inicio de março. Os trabalhadores do Paraná não iniciaram o ano letivo e já estão em greve, são mais de 10 mil demitidos, professores substitutos não contratados e retirada de direitos.


É necessário nos organizarmos, unificarmos todas as lutas e barrar os ataques em andamento. Isso é parte de uma política geral que visa desresponsabilizar o Estado de uma de suas principais responsabilidades: garantir a educação, pública, laica e de qualidade. 

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Conselho Deliberativo afirma que não aceitará nenhuma retirada de direitos.

Nos dias 05 e 06 de fevereiro o conselho deliberativo do SINTE, composto por representantes das 30 regionais, se reúne em Florianópolis para discutir o seu planejamento anual e a proposta salarial do governo.


Sobre a proposta salarial, foi unânime a decisão de que não será aceita nenhuma retirada de direitos. Neste sentido podemos entender que a incorporação da regência é um grande golpe ao magistério catarinense. O Conselho discutiu e aprovou que elaborará uma contraproposta ao governo.

Nas próximas semanas o SINTE convocará reunião de representantes, assembléias regionais e assembleia estadual que debaterá amplamente o assunto.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

O ano começa e os problemas se repetirão


A eleição de Colombo no primeiro turno das eleições fortalece sua política para os serviços públicos. 

Precisamos nos organizar para melhor enfrentar os duros ataques que virão neste ano de 2015.

Há uma semana do reinício de nosso trabalho, começamos a observar que os problemas do último período farão parte de nosso cotidiano. O fato de alguns AEs e ATPs já iniciarem a preparação do ano letivo é um completo descaso com esses profissionais. É preciso que a SED entenda que esses profissionais fazem parte do magistério e portanto tem os mesmos direitos dos professores, férias até fevereiro, hora atividade, dentre outros.

Para além disso, as pressões exercidas nas primeiras reuniões pedagógicas se intensificarão: cumprir hora atividade na escola mesmo essa não oferecendo as condições necessárias, recreio monitorado, a nova organização curricular e os desdobramentos das reprovações do ano anterior são algumas das velhas histórias que já estamos acostumados a ouvir.

No que diz respeito a questão salarial acompanhamos o reajuste oficial do MEC à Lei do Piso de 13,01%. Sabemos que essa mudança no critério do reajuste prejudica e não valoriza de fato nossa categoria, seguindo a lei do piso o reajuste deveria ser de 22,97%. Mas o que veremos será algo próximo do reajuste do ano passado: 8,5%. Nesta semana o governo apresentará sua proposta com o discurso de priorizar a descompactação da tabela salarial, privilegiando quem está do meio para o final de carreira. Aguardamos, nos organizando. Em fevereiro o sindicato estará visitando as escolas, organizando reunião de representantes e preparando os trabalhadores para assembleia estadual no mês de março.

Desta forma, desejamos a tod@s um ótimo ano, com muita luta e muitas conquistas. 

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Escolha de vagas para professores ACTs: O Respeito passa longe!


Os dados da precarização das condições de trabalho na educação são alarmantes, tanto na parte estrutural das escolas como nos contratos dos profissionais. Números da CNTE e DIEESE apontam que 50% dos professores da educação básica no Brasil são contratados temporiamente. Em SC são chamados de ACTs (admitidos em caráter temporário) e confirmam esses dados nacionais. Apesar do último concurso ainda temos um grande déficit de efetivos na rede estadual. É preciso continuar lutando por concurso amplo para todos os setores.
Como se não bastasse isso, passamos todos os anos por um processo seletivo para conseguirmos vaga em uma escola. Há anos o processo de escolha de vagas acontece em locais inadequados, nas escadas da gerência ou no refeitório de uma escola sem as mínimas condições de acomodação para o grande número de professoras que ocupam o local. Falta transparência na escolha de vagas, os professores não têm acesso as vagas escolhidas, falta água, falta ventilação, falta informação. O que não falta é calor. Apesar dos avisos à gerencia durante o ano sobre essas condições, nada foi feito. E isso não é exclusividade da regional de Joinville  http://sinte-sc.org.br/problemas/calor-castiga-trabalhadores-na-escolha-de-vagas-dos-acts-em-florianopolis/
E não pára por aí. No inicio do ano veremos as propostas do governo para o magistério catarinense. É hora de nos organizarmos e acabarmos com todo esse descaso. 







terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Fotos da Confraternização Final de Ano


O SINTE/Joinville agradece a presença de todos os professores que compareceram na confraternização de final de ano da categoria, comemorando mais um ano de luta.