Sinte - Regional de Joinville

Sinte - Regional de Joinville

sábado, 29 de março de 2014

ATO MACRORREGIONAL

Como parte do processo de mobilização do magistério catarinense nesse período de Estado de Greve, teremos os atos macrorregionais. 
O Ato da região norte, será realizado em Blumenau a partir das 14h do dia 02 de abril. O ônibus de nossa regional sairá do Centreventos as 12h. (Meio dia). No dia 03 o SINTE terá audiência com a SED para tratar de nossa pauta de reivindicação, assim, precisamos fortalecer nosso ato em Blumenau. VAMOS TOD@S! 

quarta-feira, 26 de março de 2014

Carta a comunidade e panfleto aos trabalhadores em educação.

Estamos num período de mobilização desde o dia 18 de março, período este que chamamos de Estado de Greve. É o momento de dialogarmos com os colegas de trabalho e com a comunidade escolar sobre os problemas que enfrentamos todos os dias em nosso local de trabalho. Neste final de março e início do mês de abril teremos várias atividades que culminarão com a realização de uma Assembleia Estadual no dia 15 de abril. Para isso o Sinte Joinville elaborou dois importantes panfletos para discutirmos na sala dos professores e com a comunidade. Segue abaixo. 




 

terça-feira, 25 de março de 2014

Café dos Aposentados

O SINTE Joinville convida todas/os Aposentadas/os em Educação para darmos início aos nossos encontros do ano de 2014 para um café.

Data: 28/03/2014 (sexta-feira)
Horário: 15 horas
Local: Sinte

Venha tomar um café conosco, esperamos você!

domingo, 23 de março de 2014

Confira algumas fotos da Assembleia Estadual

Em torno de 50 trabalhadores em educação da região de Joinville participaram da Assembleia Estadual no dia 18 de março, realizada no Centro Sul em Florianópolis. 


  





Nota de esclarecimentos sobre estabilidade provisória - ACTs

Prezados Companheiros do Magistério Público Estadual,

Chegou ao conhecimento do SINTE/SC e sua Assessoria Jurídica (Cristóvam & Palmeira Advogados Associados), que algumas Regionais do Estado não estavam permitindo às servidoras ACT’s, durante a estabilidade provisória, laborarem em sala de aula, além de que algumas servidoras da Regional de Laguna estavam com problemas pontuais e específicos no tocante a esse direito.

Nesse sentido, a fim de regularizar administrativamente as aludidas situações, representantes da Diretoria Executiva do SINTE/SC e da Coordenação Regional do SINTE/Laguna, juntamente com sua Assessoria Jurídica, representada pelo Advogado Felipe Roeder da Silva, realizaram, no dia 26 de fevereiro de 2014, nova reunião com a Diretora de Gestão de Pessoas da Secretaria de Estado da Educação (SED/SC). Na oportunidade ficou definido que o SINTE/SC encaminharia uma lista à SED/SC, com a indicação dos casos pontuais e as respectivas GERED’s que não estariam cumprindo regularmente o direito das servidoras à estabilidade provisória.

Após a reunião, de pronto o SINTE/SC encaminhou a referida listagem. Em resposta, a Diretora de Gestão de Pessoas da SED/SC retornou confirmando que foram tomadas todas as providências junto às Regionais que não estavam cumprindo devidamente o respectivo direito das servidoras ACT’s, inclusive as que não estavam permitindo as servidoras laborarem em sala de aula, pelo que todos os casos específicos relatados estavam resolvidos administrativamente. Em arremate, novo comunicado seria encaminhado a todas as Regionais para reiterar esclarecimentos e orientações no que tange à estabilidade provisória.

Ressalta-se que, se necessário, o SINTE/SC tomará todas as providências e medidas cabíveis, inclusive judiciais, para garantir o adequado e integral respeito ao direito à estabilidade provisória das ACT’s gestantes, desde a concepção até cinco meses após o parto, sendo que isso inclui, também, o direito à escolha de vagas, permanência em sala de aula, desempenho das atividades como ACT no ano subsequente (2014), o recebimento da regular e integral remuneração devida, bem como o direito à licença gestação de 180 (cento e oitenta) dias após o parto.

Portanto, como esclarecido anteriormente, todas as servidoras devem exigir tais direitos, inclusive acompanhadas de representantes das Regionais do SINTE/SC, sendo que, caso ocorram restrições ao direito de escolha de vagas e ao labor em sala de aula, indica-se a obtenção da documentação que comprove tal fato, com a imediata remessa à Assessoria Jurídica do SINTE/SC.

Esperando ter contribuído para o deslinde de eventuais dúvidas, ficamos à disposição para outras informações e orientações, ressaltando que a Assessoria Jurídica do SINTE continua firme a atuante em defesa dos trabalhadores da educação. Apresentamos votos de consideração e apreço a essa tão combativa categoria.

Florianópolis, 14 de março de 2013.


LUIZ CARLOS VIEIRA
COORDENADOR ESTADUAL
MARCELO SPECK DA ROSA
SECRETÁRIO DE ASSUNTOS JURÍDICOS E TRABALHISTAS



CRISTÓVAM E PALMEIRA ADVOGADOS ASSOCIADOS
Advogados: Daniela Cristina Rabaioli, Erones Faustino Junior, José Sérgio da Silva Cristóvam, Felipe Roeder da Silva e Marcos Rogério Palmeira

sexta-feira, 21 de março de 2014

SINTE Estadual encaminha pedido de audiência.

Os dirigentes foram até o Centro Administrativo, onde protocolaram ofício pedindo audiência com o Governador Colombo. O documento foi entregue na Casa Militar.



Ofício 035-2014 - Pedido Audiência Governador

quinta-feira, 20 de março de 2014

Principais decisões da assembleia estadual

Propostas aprovadas:

Contra o percentual de reajuste e a MP do governo do Estado

Tendo em vista que o reajuste do piso nacional do magistério tem como data de vigência o mês de janeiro, e que a MP propõe o parcelamento rejeitado pelo conjunto da categoria, somos contrário a essa medida provisória e cobramos do governo a aplicação do reajuste integral de imediato, com pagamento retroativo a janeiro de 2014.

Inclusão da revisão da Lei dos ACT’s na pauta da greve

Trouxemos esse ponto para o foco central, pois a atual lei, aprovada em 2009, é extremamente perversa aos professores temporários, fazendo distinções entre trabalhadores que não recebem de acordo com sua formação, não tem direito a plano de saúde, passa por cima da CLT prevendo abandono de trabalho a partir do terceiro dia de falta, não permite o afastamento para cuidados de saúde do filho, entre outros pontos que devem ser revistos.

Ocupação da ALESC quando a MP for discutida e votada no plenário

A medida provisória tramitará na ALESC, que tem como base a maioria de aliados da política de Colombo, portanto temos que denunciar a postura de manter e sustentar a política de desrespeito ao magistério catarinense por parte dos inimigos da educação no parlamento catarinense.
Teremos intervenção/mobilização na Alesc para defender nossa posição.

Realização de Atos Macro regionais

A reunião da executiva vai discutir o calendário e a organização. Serão realizados 4 (quatro) atos, nas cidades de Criciúma, Florianópolis, Blumenau e Chapecó.

  
Participação do Seminário de Mulheres CUTistas, no dia 24/03, com pelo menos 2 representantes por regional

O Seminário de mulheres pretende reunir trabalhadoras de todas as categorias para debater a participação das mulheres na luta da classe trabalhadora, bem como as questões específicas de combate ao preconceito de gênero na sociedade e no próprio movimento sindical. Para tanto pedimos atenção das regionais para que encaminhem esse ponto de imediato, haja   vista que a data da realização do seminário estar muito próximo.

Participação na Marcha dos Catarinenses no dia 09/04

A política do governo Colombo, atinge o conjunto da sociedade catarinense, que é prejudicada pela política de minimizar o atendimento de políticas públicas. É nesta perspectiva que vemos a entrega da saúde pública catarinense à iniciativa privada, casos da terceirização dos hospitais e até do SAMU. O não cumprimento do reajuste dos servidores do estado, O abandono da segurança pública, etc. E na educação a política de municipalização, abandono das condições de funcionamento das escolas, terceirização da merenda escolar. Precarização da carreira do magistério, não cumprimento da Lei do piso nacional, discriminação de ACTs distinções da categoria por meio de gratificações diferenciadas a professores AEs e ATPs.

Estado de Greve com Assembleia Estadual dia 15/04;

O encaminhamento da Assembleia é para o estabelecimento de um período de reforço na mobilização, o estado de greve é a situação de construção do entendimento da necessidade do enfrentamento com o governo, e no dia 15/04 faremos o balanço do resultado da mobilização para a greve. Para tanto temos que retomar com mais força a visita às escolas, intensificar nossa campanha com intervenção nos meios de comunicação regional e disseminação de nossa campanha salarial.

Diretoria Executiva

quarta-feira, 19 de março de 2014

Assembleia Estadual do magistério decide pelo Estado de Greve

Na tarde de ontem, 18/03, mais de 2 mil trabalhadores/as da educação do estado de SC se reuniram em Assembleia Estadual para deliberar sobre as diversas pautas da categoria. Os principais debates foram com relação ao reajuste salarial do magistério e o parcelamento proposto pelo Governo, este que por unanimidade foi rejeitado, bem como, as demais reivindicações da categoria, entre elas a descompactação da tabela salarial e a o fim do decreto das progressões. Para que as pautas sejam atendidas a Assembleia discutiu e votou em um plano de lutas e uma grande mobilização estadual, com a intenção de construir uma greve junto a base.

 Os principais pontos aprovados foram:

- Categoria em Estado de Greve para mobilização das bases por todo o Estado;

- Assembleia Estadual para o dia 15 de abril;

- Realização de 4 Atos macrorregionais nas cidades de Florianópolis, Blumenau, Criciúma e Chapecó;

- Realização de Atos em frente a Assembleia Legislativa;

- Inclusão na pauta da Revisão da Lei dos ACTs;

- Participação da categoria na Marcha dos Catarinenses, evento promovido pelas Centrais Sindicais no próximo dia 09 de abril.


Além destes, outros encaminhamentos foram votados, estes que serão divulgados a partir de amanhã no relatório da Assembleia Estadual.


Assembleia Regional

A Assembleia Regional do Sinte Joinville aconteceu no dia 17/03. Contando com cerca de 60 profissionais em educação, representando em torno de 20 escolas, foram discutidos: a proposta do governo, as perdas salariais, informes das escolas e encaminhamentos.
Na análise do quadro de greve na regional houveram duas avaliações: que já haveria mobilização para greve e outra que ainda há muitas dúvidas em relação a uma possível greve neste momento. Assim, duas propostas surgiram: optando por greve imediatamente ou estado de greve com construção de um plano de lutas. Depois de todas as falas, houve votação para tirar indicativo da regional. 27 professores optaram por greve já por tempo indeterminado, outros 20 pela proposta do plano de lutas com estado de greve. Houveram 3 abstenções.

domingo, 16 de março de 2014

Assembleia Estadual


Proposta de pauta:
  • Informes;
  • Conjuntura;
  • Encaminhamentos.

Após haverá um Ato público unificado.

Interessados em participar da Assembleia Estadual devem passar nome e RG para o Sinte regional até as 12h do dia 17/03. (Telefone: 3026-6354) O ônibus sairá 9h do estacionamento do Centreventos.

SINTE/SC responde ao governo sobre adiantamento da parcela do reajuste

O texto publicado no site da SED afirma que o governador Raimundo Colombo determinou, na segunda-feira, 10, mudanças nos prazos de pagamento do reajuste salarial do magistério em 2014. Em reunião com os secretários da Educação, Eduardo Deschamps; da Fazenda, Antônio Gavazzoni; da Administração, Derly Anunciação; e da Casa Civil, Nelson Serpa, na Casa D’Agronômica, *Colombo ordenou que a última parcela de 4,5% do reajuste total de 8,5% para os professores do Estado seja antecipada de dezembro para o mês de setembro. Pelo acerto, os 2% relativos a janeiro serão pagos, de forma retroativa, na folha de março e os outros 2%, em julho.

Em resposta a campanha deflagrada pelo SINTE, o governo tenta amenizar a situação pagando a primeira parcela retroativa a janeiro e antecipando as demais parcelas do reajuste como aconteceu em 2013.

Para nós não basta, queremos os 8,5% em apenas uma parcela, com pagamento retroativo a janeiro, uma proposta real e decente de descompactação da tabela e o fim do decreto das progressões. A categoria não aceita mais a velha fórmula de jogar panos quentes sobre um problema que se arrasta desde o início da gestão do governador Raimundo Colombo, por isso, para este momento, resolvemos cobrar do governo aquilo que é prioridade para nós, numa pauta enxuta de três pontos.

Pagamento integral do reajuste já
Descompactação da tabela salarial
Fim do decreto das progressões

Nos próximos dias, o governador encaminhará a Medida Provisória para a Assembleia Legislativa com os percentuais e datas de pagamento. *O governo do Estado cumpre, desde 2012, a lei do piso salarial do magistério definida pelo Ministério da Educação e vai além. Desde 2011, o piso dos professores do Estado aumentou 172% contra um reajuste de 70% do piso divulgado pelo MEC.

A alegação do governo de que cumpre a lei do piso salarial do magistério desde 2012 e que o reajuste dado a partir de 2011 é de 172% encobre algumas inverdades.

1 – O governo paga o piso apenas aos /as profissionais que recebem o vencimento abaixo do estabelecido pela lei. Com isso a cada reajuste dado a estes/as trabalhadores que estão no início da carreira, muitos/as deles/as com formação apenas no Ensino Médio ou cursando o Ensino Superior, sem repercutir no restante da tabela aproxima mais e mais o valor destes vencimentos ao dos/as profissionais de carreira com pós-graduação, mestrado e com raríssimas exceções com doutorado.

2 – Concordamos com a afirmação do governo de que o magistério catarinense recebeu 172% de reajuste a partir de 2011. Porém é preciso esclarecer que isto só aconteceu pela decisão do Supremo Tribunal Federal que julgou improcedente o pedido de inconstitucionalidade da Lei do Piso feita pelo governo de Luiz Henrique. Quanto à afirmação de que o reajuste ficou acima dos 70% divulgado pelo MEC, se deve ao fato de que Santa Catarina, um dos estados mais ricos do país pagava R$609,00 de piso salarial a seus professores por quarenta horas de jornada semanal, e mesmo com o reajuste de 172%, o salário da categoria é o 24º colocado entre os estados da federação, continuando a ser um dos piores índices salariais do país.

Vale lembrar também que este reajuste se deu basicamente para os/as profissionais com licenciatura curta ou ensino médio.

Pelos dados estatísticos dos filiados do SINTE/SC – 2010 a distribuição na Carreira demonstra que temos:

23,78% com ensino médio e licenciatura curta;
42,26% com graduação;
29% com pós-graduação;
4,34 com mestrado;
0,39% com doutorado;

A diferença entre o início de carreira e o final, antes do achatamento, era de 188,09% e atualmente é de 85,25%.

Estes dados demonstram que a maioria dos/as profissionais estão entre os/as graduados/as e pós-graduados/as, cuja perda salarial pode chegar aos 50% no final da carreira. Esta foi a parcela de trabalhadores mais prejudicada pelo achatamento da tabela.

*O secretário da Educação ressaltou que no governo Colombo o menor salário de um professor das séries iniciais nas escolas estaduais passou de R$ 1.079,00 para R$ 2.640,00. Já o salário de um professor com graduação em final de carreira nas escolas estaduais chegará em R$ 4.254,00. E o salário de um professor com doutorado em final de carreira na rede estadual atingirá R$ 5.604,00.

Quanto à afirmação do secretário e que um/a professor/a em final de carreira chegará ao valor de R$4.254,00 não procede, pois de acordo com os cálculos que fizemos baseados no salário de um professor/a de anos iniciais incluindo triênios e regência de classe de 25%, (valor pago para a maioria dos/as professores) este valor não passará dos R$3.990,51.

Contestamos também a afirmação do secretário de que o salário de um/a professor/a com doutorado que atingirá R$ 5.604,00 no final de carreira, pois nossos cálculos revelam que incluindo os triênios e a regência de classe de 25% este valor poderá chegar aos R$5.345,62. Lembrando também que o número de profissionais com doutorado na carreira do magistério não chega à meio por cento.

Precisamos levar em conta que o tempo necessário de formação de um/a professor/a desde os anos iniciais é de: Graduado/a 16 anos, Pós Graduado/a 18 anos e doutorado 20 anos ou mais, formação esta que na maioria dos casos é paga pelos/as professores/as.

Sendo assim, repudiamos as afirmações do Governo que tentam confundir a categoria e a sociedade, manipulando dados e desqualificando sua a luta por melhores condições de trabalho, sob o pretexto de que o magistério catarinense recebe altos salários.

SINTE/SC

*Trechos do texto da Secretaria de Educação

quarta-feira, 12 de março de 2014

Campanha Basta Colombo!

O Sinte lançou a campanha "Basta Colombo", que será veiculada na mídia (propaganda de TV, outdoors, busdoors) entre os dias 10 e 23 de março.

Nossa regional recebeu 4 outdoors que foram colocados nos seguintes endereços:

1 - Bucarein - Avenida Procópio Gomes - Próximo à Havan, sentido Centro.

2 - Bom Retiro - Rua Tenente Antônio João - saída Shopping Garden Joinville.

3 - Glória - Rua XV de Novembro - em frente Toyoville, saída da cidade.

4 - São Francisco do Sul - BR280 - em frente Assembleia de Deus - sentido São Francisco, Praias.


A campanha conta com um vídeo, que terá inserção na TV nos dias:
Dia 15-03 às 12:05 - Jornal do Almoço. 
Dia 15-03 às 19:15 - RBS Notícias. 
Dia 15-03 às 21:10 - Novela. 
Dia 16-03 às 20:45 - Fantástico
Dia 16-03 às 23:55 - Estúdio SC

Confira o VT em:
http://sinte-sc.org.br/mobilizacao/vt-da-campanha-do-sintesc-basta-colombo/

terça-feira, 11 de março de 2014

Assembleia Regional

Trabalhadores em Educação! Vamos todas/os construir uma grande assembleia regional. Sua presença é muito importante para deliberarmos as lutas da categoria para o próximo período.




domingo, 9 de março de 2014

Manifestação em defesa da escola pública.

A União Joinvilense dos Estudantes Secundaristas (Ujes) , com nova diretoria desde dezembro do ano passado, inicia o ano letivo de 2014 retomando as lutas das últimas jornadas, acrescentando novas reivindicações ao governo catarinense e à prefeitura de Joinville. 

As escolas Osvaldo Aranha, Plácido Olímpio de Oliveira, Annes Gualberto e Maria Amin Ghanem estão parcialmente interditadas. Passaram por reformas durante as férias de verão, mas ainda não estão completamente entregues aos professores e estudantes, assim como o centenário Conselheiro Mafra, que foi doado ao IFSC, e o Monsenhor Scarzello. 

Estas escolas, e tantas outras, precisam urgentemente de reformas completas e não simples maquiagens e promessas.

O Governo Colombo deve aos estudantes e ao povo de Joinville e região uma atitude concreta em relação à recuperação das escolas, com professores decentemente remunerados, quadras de esporte, bibliotecas e climatização. 
Lutemos contra o sucateamento das escolas públicas.
Pela Tarifa Zero, por uma empresa pública de transporte público, gratuito e para todos. 

QUARTA FEIRA DIA 12-03-14
MANIFESTAÇÃO EM DEFESA DA EDUCAÇÃO PÚBLICA E DE QUALIDADE PARA TODOS. 
NA PRAÇA DA BANDEIRA A PARTIR DA 9:00h 

Pelo fim do calor insuportável nas salas de aula. 
Construa o grêmio em sua escola e tenha voz ativa! 
Contra a repressão do Estado a qualquer tipo de manifestação. 
Abaixo ao Capitalismo!


sexta-feira, 7 de março de 2014

Campanha do Sinte “BASTA COLOMBO” É Censurada por empresas de outdoor

O SINTE/SC entidade representativa dos Trabalhadores/as em Educação do Estado de SC vem através deste afirmar que a luta pela correta aplicação da Lei do Piso Nacional para todos os trabalhadores do magistério Catarinense é antiga e este ano não é diferente. Desde 2011 estamos batalhando e negociando a correta implementação da Lei, mas o governo não está honrando com o compromisso que assumiu com a categoria e até o momento não fez nenhuma proposta que atendesse os nossos direitos.

O Sindicato juntamente com as demais entidades que representam o serviço público vem denunciando, as constantes tentativas de retirada de direitos dos/as trabalhadores/as, como o que ocorreu no final de 2013 quando o governo enviou um pacotaço de projetos que apesar da pressão feita pelos/as trabalhadores/as foi aprovado pelos/as Deputados/as de sua base aliada, infelizmente, maioria na Assembleia Legislativa.

Diante da constante falta de respeito do governo para com as justas demandas da categoria, o SINTE através de seu Conselho Deliberativo, Executiva e Coordenações Regionais deliberou pela realização de uma campanha intitulada BASTA COLOMBO  unificada com outras entidades de classe do trabalho público,

Para viabilizá-la, o sindicato solicitou a uma agência a criação das peças como VT para televisão, Spot para rádio, outdoor, busdoor, jornal informativo e adesivo para carros. Para a produção e posterior veiculação do material, contratamos empresas que para a distribuição desse material pelo Estado, neste caso, nos referimos aos outdoors e busdoors.

Em todo Estado de SC nossas peças serão veiculadas, com exceção de uma empresa da cidade de Blumenau e de todas as agências da região de Lages, que se negaram a veicular nosso material de outdoor, alegando que nossa campanha é de cunho político/partidário, deixando claro que preferem ignorar a irresponsabilidade do governo para com a sociedade para não se indispor com ele. Não somos um partido político e nosso objetivo é mostrar à sociedade a forma como o governo trata nossas reivindicações. Nossa luta e justa, legítima e um direito social de todo/a trabalhador/a garantido pela Lei nº 7.783/89.

Não concordamos com quem quer cercear nosso direito a livre manifestação, repudiamos este tipo de atitude que fere o direito de expressão de toda uma categoria, que desrespeita e censura a nossa forma de pensar e agir. Atitude esta que não condiz com o Estado Democrático de Direito previsto pela Constituição Federal. 


Audiência Pública - CDH

Participe!

Quando: 11/03/14 (terça)
Onde: Câmara de Vereadores de Joinville
Horário: 19h30m


quarta-feira, 5 de março de 2014

Ato dia de luta da Mulher

O Movimento Mulheres em Luta de Joinville convida para Ato e panfletagem na Praça Nereu Ramos. 

O magistério catarinense é formado majoritariamente por mulheres, vamos juntas denunciar a violência que sofremos cotidianamente e cobrar ações dos governos.

Esperamos todas/os para marcar o dia 8 de março!

Quando: 08/03/2014 (sábado)
Local: Praça Nereu Ramos
Horário: 9h30






segunda-feira, 3 de março de 2014

Reunião de Representantes


Aconteceu nesta sexta-feira (28/02) a primeira reunião de representantes do SINTE Joinville de 2014. Com 13 professores presentes, foram discutidos:
  • Proposta do Governo;
  • Greve nacional da CNTE;
  • Assembleia regional e estadual;
  • Encaminhamentos.

ASSEMBLEIA REGIONAL
Data: 17/03/14 (Segunda-feira)
Horário: 9 h
Local: Ainda não confirmado

ASSEMBLEIA ESTADUAL
Data: 18/03/14
Horário: 14 h
Local: Centro Sul - Florianópolis