Sinte - Regional de Joinville

Sinte - Regional de Joinville

quinta-feira, 23 de março de 2017

Atenção, trabalhadores em educação: participem da assembleia estadual

O governo federal anunciou que os servidores municipais e estaduais não serão contemplados pelas medidas propostas na Reforma da Previdência.

Este “recuo” por parte de Michel Temer não é inocente e não deve enganar o servidor público para, assim, dividir a classe trabalhadora. Com esta manobra, Temer deixa a aplicação da reforma nas mãos dos governos municipal e estadual, desmobilizando momentaneamente os servidores públicos – que já deram o recado nos atos do dia 15 - ao mesmo tempo em que ataca os trabalhadores federais e do regime privado.

Junto ao anúncio do governo federal, Raimundo Colombo apresentou, nesta quinta (23/03), o pré-projeto da reforma previdenciária do funcionalismo público catarinense, com o nome de SCPrev. Nele, o governo pretende criar uma fundação privada para gerenciar a aposentadoria dos trabalhadores estaduais, além de modificar as regras de contribuição.

Estas reformas não precisam de emendas. Elas precisam ser derrubadas e enterradas, assim como todo o Congresso Nacional. Esta luta só poderá ser levada a cabo pela unidade e organização de todas as categorias..
Os servidores em educação do estado não devem se enganar com as estratégias de Temer, mas continuar mobilizados para derrubar a Reforma da Previdência e a agenda federal e estadual de ataques aos direitos dos trabalhadores, como a Reforma do Ensino, a lei que libera a terceirização para atividades do Estado e a reforma previdenciária estadual.

Não será Temer, que se aposentou aos 55 anos com salário de R$ 30 mil, nem Colombo que decidirão o futuro dos trabalhadores do país. Serão os próprios trabalhadores, que atuam em condições indignas para dar um pouco dignidade à população, que decidirão seu futuro e o futuro das próximas gerações.

Por isso, é importante que os trabalhadores em educação, no dia 28 de março, participem da assembleia estadual do Sinte para construir a maior mobilização da história.

Leia: https://goo.gl/HXPoku


Nenhum comentário:

Postar um comentário