Sinte - Regional de Joinville

Sinte - Regional de Joinville

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Sinte - Joinville e grêmios estudantis unem-se para debater a Lei da Mordaça

Na Quarta-feira, 14/9, a regional de Joinville do Sinte, representado pela coordenadora Thaís Tolentino, junto à advogada e militante da Esquerda Marxista, Flávia Bandeira, participou de uma atividade promovida pelo Grêmio Estudantil da E.E.B. Paulo Medeiros. O objetivo era debater a gravidade da Lei da Mordaça nos rumos de uma educação pública, gratuita e para todos.

Não bastasse o desmonte que a educação pública vem sofrendo do ponto de vista econômico (escolas sucateadas, trabalhadores com salários defasados, salas lotadas, falta de recursos), os ataques agora vêm de maneira ideológica, de forma a querer calar professores e estudantes e impedir que as estruturas do atual sistema sejam questionadas.

A Lei da Mordaça surge impulsionada por uma ONG chamada Escola Sem Partido, que impõe ao professor uma posição de neutralidade, que na prática sabemos que não existe - a neutralidade é, também, ideológica. Essa lei não só ataca o ensino e aprendizagem nas unidades escolares, mas atinge em cheio a organização sindical e estudantil.

Esse projeto de lei chegou a Joinville: é o projeto 221/2014, proposto pela Pastora Leia, que está em discussão bastante adiantada na comissão de educação.

Isso representa um retrocesso histórico, que equivale à opressão do pensamento crítico no Brasil pelos Atos Institucionais durante a ditadura militar.

A elite econômica do país, que estrategicamente coloca seus representantes nas câmaras e parlamentos pra defender os seus interesses, treme diante da organização política da juventude e da classe trabalhadora.

A regional de Joinville do Sinte convida todos os trabalhadores em educação, de todas as regionais, a tomarem parte neste momento histórico de defesa das liberdades democráticas historicamente adquiridas. E aos algozes das conquistas democráticas alcançadas com sangue e suor ao longo do desenvolvimento da humanidade, apenas um destino: a lata de lixo da história.






Nenhum comentário:

Postar um comentário