Sinte - Regional de Joinville

Sinte - Regional de Joinville

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Novo protesto contra a reenturmação é realizado em Joinville


Mais de 100 pessoas compareceram na noite desta terça na praça Dario Salles

Foto: Maiara Bersch / Agencia RBS
Horas depois de a Vigilância Sanitária terminar a vistoria por três escolas estaduais de Joinville e pedir pequenos ajustes; na noite desta terça-feira, mais de 100 pessoas entre alunos, professores e sindicalistas, foram até a Praça Dario Salles, no Centro, protestar contra a reenturmação. 

Mesmo com uma vitória - a redução de 54 para 28 turmas fechadas na região - os manifestantes pretendiam sensibilizar a população a não aceitar a readequação de alunos imposta pela Secretaria de Estado de Educação. Um novo protesto já está marcado para a sexta-feira, às 9h30, na Praça da Bandeira.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte-SC) espera que a Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) de Joinville faça uma segunda análise e cancele o fechamento de turmas.

Para a Secretaria de Estado de Educação, a readequação ocorre todos os anos no mês de abril e a lei complementar 170/98 está sendo obedecida. Segundo a legislação, a sala de aula precisa contar com 1,3 m² por aluno. Para as séries finais do ensino fundamental, o máximo permitido é de 35 estudantes. Para o Ensino Médio, são 40.

Fonte: Jornal A Notícia

http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/geral/educacao/noticia/2013/05/novo-protesto-contra-a-reenturmacao-e-realizado-em-joinville-4130297.html


Nota do Sinte Joinville

Para o Sinte Joinvile o governo não cumpre a Lei 170/98, pois essa determina 1,30m2 para o aluno e 2,50m2 para o professor, sem levar em conta os espaços para circulação interna e espaços usados para material didático.

Se aplicarmos o que diz a lei, uma sala de aula com 48m2 deveria comportar 25 alunos.

Destacamos ainda, que a lei determina o número máximo de alunos em sala de aula e não o número mínimo.

A lei 170 não prevê a reenturmação. Ela passou a ser aplicada a partir de um decreto pelo estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário