Sinte - Regional de Joinville

Sinte - Regional de Joinville

domingo, 10 de março de 2013

SDR define novas medidas para atender alunos das escolas estaduais interditadas em Joinville


Estudantes do ensino fundamental da Maria Amin Ghanem serão realocados em três locais. Vigilância manteve interdição na Rudolfo Meyer

Mães de estudantes de escolas interditadas cansam
de esperar e também entram na luta
Os cerca de 800 alunos do Ensino Fundamental da Escola Estadual Maria Amin Ghanem, no Aventureiro, vão iniciar o ano letivo na semana que vem, após quase um mês de atraso. As turmas serão remanejadas para três locais provisórios a partir de terça-feira (12). Já para outros 750 alunos da Rudolfo Meyer, no Floresta, as aulas continuam suspensas. A unidade passou por nova vistoria da Vigilância Sanitária na sexta-feira (8), mas não foi liberada. Na Conselheiro Mafra, houve a desinterdição parcial de cinco salas no prédio mais novo. O local vai atender as séries iniciais, enquanto as demais turmas continuam realocadas.
O novo esquema de remanejamento para a unidade do Aventureiro foi acertado pela SDR (Secretaria de Desenvolvimento Regional) de Joinville na tarde de sexta, quando a secretária regional Simone Schramm recebeu uma comissão formada por pais, alunos e lideranças políticas. Participaram do encontro representantes das escolas Annes Gualberto e Maria Amin, do Sinte (Sindicato dos Trabalhadores em Educação), da Ujes (União Joinvilense dos Estudantes Secundaristas) e da Câmara de Vereadores. Para atender os alunos da Maria Amin, foram definidos mais três locais alternativos.
As turmas dos turnos matutino e vespertino do 6º ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio irão para o Cedup (Centro de Educação Profissional), no Itaum. Os alunos do 1º ao 5º ano da manhã serão atendidos na Escola Municipal Wittich Freitag, no Aventureiro, numa parceria com a Secretaria Municipal de Educação. Por fim, as turmas da tarde do 1º ao 5º anos vão para a Plácido Olímpio de Oliveira, unidade do Estado situada no Bom Retiro. Com as mudanças, a Maria Amin ficará com turmas em quatro locais diferentes – o Ensino Médio noturno já estava realocado na escola João Rocha.
A secretaria Simone Schramm destacou o esforço de procurar as alternativas mais próximas e com instalações adequadas. Mesmo assim, parte dos alunos terão que estudar a cerca de 12 km, no Itaum. “Não tem condições de viabilizar em outro espaço”, comentou, informando que para todos os deslocamentos será disponibilizado transporte. Durante a reunião, também ficou definida mudança para de manhã aos alunos das séries finais da Annes Gualberto que estavam em turno intermediário nas salas da Asseossitec.
Na segunda-feira, a Gered (Gerência Regional de Educação) vai organizar e divulgar o esquema de transferência, que começa a valer a partir de terça. Também na segunda, o secretário estadual de Educação, Eduardo Deschamps, vem à Joinville para reunião na SDR.
Protesto
As medidas alternativas foram anunciadas após novo protesto contra a situação das escolas interditadas, dessa dessa vez em frente ao prédio da SDR, com a participação de pais, professores e alunos das escolas Maria Amin Ghanem e Annes Gualberto. Enquanto uma comissão de manifestantes se reunia com a secretária regional, nas calçadas a maior parte do grupo cobrava a retomada das aulas e soluções definitivas para evitar as freqüentes interdições. “A situação está caótica na rede estadual. Medida paliativa não vai dar jeito no problema”, destacou o professor Cláudio Fernando, representante do Sinte/Joinville, considerando que a entidade vai continuar pressionando o governo. “É com manifestação, com força, indo para as ruas que vamos mudar a situação que é de dez anos, já faz parte do ano letivo”, disse o presidente da Ujes, Luiz Souza Neto.
Para os alunos da Annes Gualberto, realocados na Assessoritec e na escola Léa Lepper, a exigência é pela rapidez nas obras de reformas. “Nosso colégio está em estado precário. Quem está deixando cair é o governo. Queremos a escola de volta, mas queremos arrumada”, comentou a estudante do 2º ano, Letícia Alice de Jesus, 15. Professor de Educação Física na Maria Amin, Gelésio Renato Limas, considerou que tanto a interdição quanto os remanejamentos prejudicam a vida escolar dos alunos. “Na área de educação física é preciso uma estrutura propícia para as aulas. Pedimos que o governo se sensibilize para que a gente possa dar aula”.
Obras
O gerente de Infraestrutura da SDR, Fabiano Lopes de Souza, informou que reparos emergenciais estão previstos a partir do dia 18 na Annes Gualberto, com intervenções na cobertura, rede elétrica e sistema de drenagem. Os trabalhos vão se concentrar primeiro em um dos blocos, visando a liberação parcial de sete salas, e devem ser concluídos até o final do mês. Na escola Rui Barbosa, foi retomada nessa semana a reforma da cobertura.
Para as escolas Conselheiro Mafra e Maria Amin Ghanem, a SDR aguarda o resultado da licitação para as reformas. O processo está em andamento, mas em função dos prazos de recursos e contestações das empresas, serão pelo menos dois meses de espera. “Em 60 dias a gente não consegue anunciar os vencedores”, ressaltou Fabiano. Na escola do Aventureiro, o Estado ainda vai solicitar a liberação parcial de um dos blocos para que parte dos alunos seja atendida na própria unidade.
A SDR esperava para sexta-feira a liberação da Rudolfo Meyer, após o término das manutenções no telhado, banheiros e cozinha. “Cumprimos tudo o que foi solicitado no auto de infração”, esclareceu a secretária regional. A fiscal sanitarista Lia Renata Abreu, no entanto, manteve a interdição, considerando que as instalações ainda não estão adequadas. “As obras foram mal executadas”, afirmou, destacando que ainda é preciso regularizar a colocação de pisos e azulejos nos sanitários. A previsão é que na terça-feira ela volte a conferir o local.
Remanejamentos nas escolas estaduais interditadas
Maria Amin Ghanem – aulas na escola João Rocha para ensino médio noturno
A partir de terça (12):
- aulas no Cedup, do 6º ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio, turnos matutino e vespertino
- aulas na Escola Municipal Wittich Freitag, do 1º ao 5º ano, turno matutino
- aulas na Escola Estadual Plácido Olímpio de Oliveira, do 1º ao 5º ano, turno vespertino
Annes Gualberto – aulas na Faculdade Assessoritec e escola Léa Lepper
Conselheiro Mafra – aulas na ACE e Católica de SC
Rodolfo Meyer – aulas suspensas até desinterdição
Rui Barbosa – aulas na escola João Martins Veras
Osvaldo Aranha – aulas na Faculdade Anhanguera

Jornal Notícias do Dia - Publicado em 08/03-22:38 por: João Batista da Silva. 

Um comentário:

  1. Fica-se estupefato saber que o governo do sr. Raimundo libera dinheiro prá construção de presídios, cadeias, sem licitação, com "investimento altíssimo na ressocialização", em detrimento à Educação. Em saber que esse (des)governo prioriza o erro, a fatalidade, à prevenção. Condição esta que perpassa todos os eixos da educação, que tem de ser de qualidade e acessível a todos.
    O que esperar de pessoas com estes pensamentos e ações?
    É até desqualificadora as ações que sustentam este governo que está (está!!!!) fazendo um pacto pela educação!!! É um engodo.

    ResponderExcluir