Sinte - Regional de Joinville

Sinte - Regional de Joinville

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Nota do SINTE a Imprensa, Magistério e Sociedade

O SINTE/SC vem através dessa nota, tornar público a postura do Governo nas negociações com os trabalhadores da educação de Santa Catarina. Desde o início, com a suspensão da greve, o SINTE adotou uma posição de seriedade frente às mesas de negociações com o CONER, enquanto que o Estado usou da “enrolação” para ganhar tempo, distrair a categoria. Nesse meio tempo, O Grupo Gestor do Governo planejava e aprovava a Resolução 008/12, que dispõe sobre a contenção de despesas do Estado.

É claro que a educação não ficaria de fora destes cortes, inclusive sendo tratada como principal responsável pelos altos gastos do Governo, pois foram obrigados a fazer o reajuste do Piso Nacional, mas que reajuste? Se até agora o SINTE espera a proposta do Governo dos 22% para todos e na carreira do magistério. O Governo apresenta esta resolução em meio a contradições, anuncia investimentos bilionários em todo o Estado, ao mesmo tempo, corta os direitos históricos conquistados pelos trabalhadores.

Os professores/as estão sendo tratadas com total desrespeito por parte desse Governo com relação ao corte das licenças-prêmio. Tomar essas medidas após licenças terem sido concedidas, chamar os ACTs, para depois voltar atrás, cancelando as licenças, e somente pela pressão da categoria conceder apenas 30 dias, é falta de consideração com esses profissionais. Da mesma forma é o tratamento dado ao efetivo. A posição do SINTE é pela retirada da resolução 008/12.

Queremos que o Governo cumpra com o que prometeu em relação a devolução dos descontos na folha de pagamento dos grevistas, e deposite imediatamente os valores devidos, pois já foi informado que a grande maioria dos professores repuseram todas as faltas.

Com relação à descompactação da tabela e o pagamento do reajuste do Piso Nacional para todos, o SINTE afirma que, continua esperando a proposta do Governo, que insiste em cancelar reuniões e não apresentar sua posição, para que os trabalhadores possam avaliar em assembleia e deliberar sobre a mesma.

Um comentário:

  1. Não é a toa que o lema do sr. Raimundo era "As pessoas em primeiro lugar", e do seu padrinho político sr. Luiz Henrique "Por toda Santa Catarina". Então está aí, sras. e srs., eles estão colocando em prática as políticas públicas voltadas à Educação, Segurança e Saúde de que tanto falaram que fariam caso eleitos. Podem ver que tudo está ao léu... Não sabem em que frente atuar, o que o catartinense está precisando, porque ou são e foram maus administradores respectivamente, ou não sabem escolher as pessoas capacitadas e competentes nas devidas funções para auxiliá-los na administração do estado, em outras palavras, administrar nosso dinheiro advindo dos impostos. Pelo contrário, fizeram de SC um cabidaço de emprego, a começar pelas SDRs, que era para agilizar os trabalhos. No entanto, muitas vezes o erário público perde-se nestas secretarias.
    Sintetizando rapidamente, o circo está armado, e o palhaço que puder mantenha-se em pé no picadeiro, pois os que estão na esfera estadual e seus apaniguados já estão lá. Ou temos outras alternativas, já a começar pela esfera municipal.
    Porque LEI, esses srs. não respeitam.
    P.S. Sem esquecer que tiveram e têm o apoio de um sr. de nome Pavan.
    Abraços.

    ResponderExcluir