Sinte - Regional de Joinville

Sinte - Regional de Joinville

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Trabalhadores em Educação indignados com a falta de compromisso do governador Colombo

Executiva Estadual do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina (SINTE/SC), representante legítimo da categoria formada por 60 mil trabalhadores, está indignada com a falta de compromisso do governador Colombo, manifestada em entrevista divulgada pela imprensa catarinense nesta quarta-feira (21/12). O SINTE/SC denuncia que o Governo catarinense desrespeitou acordo feito com a categoria, durante a greve de 62 dias em 2011, e nas reuniões do grupo de estudos. Os trabalhadores em Educação apontam a contradição de Colombo, que recuou do compromisso assumido junto ao Sindicato. A atitude do governador causa indignação aos trabalhadores em Educação e à sociedade catarinense.

Em entrevista ontem à mídia catarinense, o governador Colombo mudou o tom e o discurso, principalmente, no que se refere ao cumprimento da Lei do Piso Salarial Profissional Nacional. Durante e depois da greve, o governador assumiu o compromisso de honrar o que foi determinado nacionalmente em lei pelo Supremo Tribunal Federal como índice para o reajuste do Piso em 22%.

Na entrevista, o governador Colombo considerou “Uma loucura” o índice de 22% de reajuste do Piso, e chegando a defender que Santa Catarina pague apenas 6%, que, segundo ele, corresponde ao aumento do índice do INPC dos últimos meses. As afirmações do governador surpreendem a Executiva Estadual do SINTE/SC, pois ele próprio desfaz os compromissos assumidos com a categoria, demonstrando falta de seriedade.

Além de garantir o pagamento do reajuste do Piso, o governador também se comprometeu de manter a regência de classe integral até janeiro de 2012, juntamente com a descompactação da tabela no referente à carreira dos profissionais do magistério estadual.

Para 2012, o SINTE/SC exige a continuidade da discussão das propostas, priorizando os acordos firmados durante o ano de 2011 (descompactação da tabela salarial, revisão da Lei dos ACTs e pagamento do índice de reajuste nacional do Piso). A categoria não aceita que sua vida profissional seja definida com a perda de direitos legitimamente conquistados.

Outro sério problema, citado na entrevista do governador, é quanto a merenda escolar. Segundo Colombo, “a merenda terá parte terceirizada”. As lideranças do SINTE/SC e outras entidades representativas da comunidade catarinense defendem que toda a merenda escolar da rede pública estadual seja administrada pelo poder público, com compra direta dos alimentos e contratação dos trabalhadores através de concurso. Diante das manifestações do governador, o SINTE/SC intensificará os debates que vêm sendo feitos com lideranças das entidades para garantir transparência no processo.

O SINTE/SC reafirma seu estado de greve, proposto pela categoria em assembleia estadual, e já definiu calendário de mobilização para o início de 2012 tendo como pauta a defesa de seus direitos.

2 comentários:

  1. cadê o sinte nessas articulações? Estão de férias até dia 8 de fevereiro? Entro na página do sinte e só tem noticia velha. Os professores do palnalto norte estão começando a se fazer de vaquinha de presépio. Começam a concordar com todo esse disparate. Onde está nossa categoria de base agora para convocar as assembléias regionais? Na praia?

    ResponderExcluir
  2. GOSTARIA DE SABER SOBRE O QUE OS ADVOGADOS DO SINTE ESTÃO FAZENDO QUE NÃO NOS FOI NOTICIADO NADA SOBRE AÇÃO PARA QUE O GOVERNO NOS PAGUE OS RETROATIVOS DA LEI DO PISO UMA VEZ QUE ANTES A DESCULPA ERA PELO TAL ACÓRDÃO QUE NÃO TINHA SIDO PUBLICADO, MAS JÁ VAI FAZER ANIVERSÁRIO A SUA PUBLICAÇÃO E NÃO HÁ MOVIMENTO NENHUM? E SOBRE O REAJUSTE DA OUTRA LEI? VAMOS FICAR NOS 4%? QUEM PODE NOS INFORMAR?

    ResponderExcluir