Sinte - Regional de Joinville

Sinte - Regional de Joinville

terça-feira, 31 de maio de 2011

Governo sob Pressão

Audiência Pública discute a pauta de reivindicação do magistério e reforça a luta pelo Piso Nacional

Nesta terça-feira (31/05) realizou-se uma audiência pública com cerca de 200 Profissionais da Educação que lotaram o plenarinho da Câmara de Vereadores para reivindicar o piso nacional e a valorização do magistério catarinense.


Participaram da audiência pública deliberada pelo comando de greve do Sinte os vereadores (as) Adilsom Mariano, Dalila Rosa Leal (que fazem parte da comissão de educação), Alodir Cristo, os representantes da GERED e a coordenadora do Sinte Joinville profª Clarice Erhardt.

Todos os membros da mesa consideram a aplicação do piso na carreira um direito constitucional. Os vereadores lamentaram a falta de entendimento entre o magistério e Estado.

Pressionada e questionada pelos Profissionais da Educação, a representante do governo Evelise Fátima Martins parabenizou a organização do movimento grevista. – A greve é justa e legal!

Para o Sinte não foi nenhuma surpresa tais declarações. Diante do grande movimento grevista e das ações tomadas contra as ameaças não poderia se esperar outra posição da representante do governo.

A coordenadora do Sinte apresentou toda pauta de reivindicação e exigiu do governo uma posição clara e objetiva sobre a implantação do Piso Nacional e a retirada imediata da MP. Destacou também a realização de concurso público, fim da municipalização e gestão democrática com eleição direta de diretores.

A audiência tirou como encaminhamentos o envio de uma moção solicitando a retirada da MP da assembléia legislativa e também de encaminhar uma representação ao Ministério Público Federal e ao Tribunal de contas do Estado solicitando a apuração das denúncias de desvio dos recursos destinados a educação.

O Sinte solicitou o compromisso dos líderes de bancada para participarem de uma reunião com os deputados estaduais, juntamente com o Sindicato. O objetivo e pressionar os deputados estaduais a rejeitarem a medida provisória.


Nenhum comentário:

Postar um comentário